Menu fechado

Calendário Chinês

O calendário chinês igual a outros calendários baseia-se no ciclo do Sol e no ciclo da Lua, portanto, ele é lunissolar, e o início de seu uso foi no século I AC, sendo, portanto, o mais antigo de que se tem notícia.  O ciclo é completado a cada 12 anos e cada ano corresponde a um dos doze animais do horóscopo chinês; rato, boi, tigre, coelho, dragão, serpente, cavalo, carneiro, macaco, galo, cão e porco.     

O calendário chinês é o mais antigo que se tem conhecimento, datando do ano 2637 ac. Começou sendo baseado nas fases da Lua e posteriormente nos movimentos longitudinais do Sol. Surgiu na época do reinado de Huang-Ti ou Imperador Amarelo, um dos três imperadores Augustos, que são considerados lendários.

Ciclo do Calendário Chinês

鼠 (rato), “niu” 牛 (boi), “hu” 虎 (tigre), “tu” 兔 (coelho), “long” 龍 (dragão), “she” 蛇 (serpente), “ma” 馬 (cavalo), “yang” 羊 (carneiro), “hou” 猴 (macaco), “ji” 雞 (galo), “gou” 狗 (cão), “zhu” 豬 (porco).

O calendário chinês possui dois ciclos: um de 12 anos com 354 ou 355 dias lunares, composto de 12 meses, e um de 07 anos com anos de 383 ou 384 dias, com 13 meses. O Ano Novo começa sempre na Lua Nova entre os dias 20 e 21 de janeiro. O dia te início à meia noite.

As estações do ano precisam ser harmonizadas entre os dois ciclos de forma a se estabilizarem, portanto, no calendário chinês é incluído um décimo terceiro mês e o ano desse mês é chamado embolísmico, e os com doze meses são os anos normais. O ano com 13 meses seria o ano bissexto se comparado ao calendário ocidental.  

Por ser composto de dois ciclos e precisar encaixar um décimo terceiro mês para que as estações do ano se harmonizem, um dos anos é sempre o ano tropical. Além disso, existem algumas semelhanças com o calendário judaico.

Essas semelhanças são que existem anos de doze meses variando de 353 a 355 dias, e um ano com treze meses, o ano bissexto, variando de 383 a 385 dias. Os chineses não contam os anos em uma sequência infinita. A cada ano é atribuído um nome composto por dois elementos de um ciclo de 60 anos.

Esses elementos são: uma haste celeste e uma haste terrestre. As hastes celestes são dez e são associadas a alguns elementos da natureza, à madeira, ao barro e a alguns metais. As hastes terrestres são os doze animais do horóscopo chinês.

Existe uma grande importância para os chineses na associação entre a data de nascimento de uma pessoa e o animal que rege o ano em que ela nasceu, pois, esse animal mostra muito mais sobre a pessoa do que apenas a idade dela, portanto, acreditam que a personalidade da pessoa é regida pelo comportamento do animal.

Ano e mês bissexto do calendário chinês

O mês bissexto é acrescentado ao calendário a cada três anos. O seguinte método é usado para determinar o ano e o mês bissexto:

Calcula-se o número de luas novas entre o 11º mês de um determinado ano e o 11º mês do ano seguinte. Se o resultado for treze luas novas, então o ano é bissexto.

Para encontrar o décimo primeiro mês que dará início à contagem, devem ser observados os movimentos do Sol quanto à sua longitude, sendo que o Sol completa um movimento a cada 30 graus. São necessários vários cálculos astronômicos para determinar o mês bissexto.

É bem complicado esse calendário, pois cada mês recebe o número do Termo Principal referente à longitude do Sol que ocorre no mês em questão, porém, pode ocorrer que um mês tenha dois Termos Principais.

Todos os cálculos são realizados com base no meridiano de Greenwich, a 120 graus do mesmo, sendo que esta localização corresponde aproximadamente à costa leste da China.

Como já citamos anteriormente, o calendário chinês não é feito contando uma sequência infinita numérica e sim são usados nomes para cada mês, e esses nomes se repetem a cada 60 anos. A contagem numérica foi abolida em 1911 após a revolução.

Esse sistema de dar nome aos anos em vez de números acontece há mais de 2000 anos. O calendário chinês é usado para fins de comemorações das festividades culturais e religiosas. Porém, a República Popular da China usa o calendário gregoriano para fins civis e transações comerciais.

Festas do calendário chinês

A China é rica em cultura e lendas, e apesar de ter muitas datas a comemorar, três são as mais importantes, e são as mais procuradas pelos turistas. O Ano Novo Chinês, a Festa do Barco Dragão e o Festival das Lanternas.

O Ano Novo Chinês é comemorado entre o fim do mês de janeiro e o início do mês de fevereiro, e a festa dura 15 dias. Os chineses seguem o calendário lunissolar para essa comemoração e as tradições e superstições são seguidas à risca. Uma delas é em relação às cores usadas no evento, que são o vermelho e o dourado.

No décimo quinto dia do calendário lunissolar, quando as festividades do Ano Novo são encerradas, acontece o Festival das Lanternas. Essa festa acontece há mais de 2000 anos e começou a ser comemorada a partir da observação de que os monges acendiam lanternas vermelhas nos templos em respeito a Buda. O Imperador Ming então oficializou o costume.

A Festa do Barco Dragão ou Festa da Pamonha acontece no quinto dia do quinto mês do calendário lunissolar. Essa festa também é comemorada há mais de 2000 anos e o ponto alto dela é a gastronomia. A pamonha é de arroz e é uma comida típica da China.

A data da Festa do Barco Dragão tem origem na história de um poeta chinês que ao saber que sua cidade natal – Reino de Chu – fora invadida, jogou-se de propósito no Rio Miluo para afogar-se por desgosto, e isso aconteceu no quinto dia do quinto mês do calendário lunissolar.

No ano corrente em que estamos de 2018 a Festa do Barco Dragão ocorreu entre os dias 16 e 18 de junho do nosso calendário. Provavelmente a comparação deve ser muito difícil de ser feita por causa das inúmeras e complexas diferenças entre os calendários.

Também o ano corrente é o de 4716 o ano do cão. Começou no dia 16 de fevereiro de 2108 e terá fim no dia 05 de fevereiro de 2019. E o que representa afinal o ano do cão de acordo com esse calendário tão diferente?

Se quisermos nos basear pela filosofia chinesa, estamos tendo um ano produtivo, de entusiasmo, independência, engajamento, dinamismo, honra, lealdade e proteção. Tudo isso são qualidades dos cães. Não custa nada copiar.