Menu fechado

O que é Equinócio de primavera?

equinócio de primavera

Talvez você nunca tenha ouvido falar em equinócio de primavera.

Ou talvez, você até tenha ouvido, mas não saiba exatamente o que ele significa.

A verdade é que o equinócio de primavera está presente em nossas vidas, como referência para muitos fenômenos cíclicos.

Hoje você vai saber o que é equinócio de primavera e conhecer um pouco de sua importância. Acompanhe.

O que é equinócio?

O equinócio de primavera é quando o sol cruza a linha do Equador, marcando o início da primavera.
O equinócio de primavera é quando o sol cruza a linha do Equador, marcando o início da primavera.

Equinócio é um termo definido pela astronomia para se referir ao instante em que o Sol cruza a Linha do Equador, aquela linha imaginária que divide a Terra em Hemisfério Norte e Hemisfério Sul.

Obviamente, estamos nos referindo à órbita aparente do Sol, isto é, ao deslocamento como ele é visto da Terra.

Assim, o equinócio ocorre duas vezes por ano, nos meses de março e de setembro. Nessas ocasiões, os dois hemisférios da Terra estão iluminados pelo Sol de maneira idêntica.

A palavra equinócio tem origem na junção das palavras latinas “aequus” e “nox”, e seu significado corresponde a “noites iguais”.

De fato, essas são as únicas ocasiões do ano em que o dia tem 12 horas de duração, assim como a noite.

São esses fenômenos que marcam as mudanças de estação:

  • Em março, o hemisfério norte troca o inverno pela primavera, enquanto o hemisfério sul troca o verão pelo outono;
  • Em setembro ocorre o inverso, ou seja, o hemisfério sul sai do inverno para a primavera, enquanto o hemisfério norte passa do verão para o outono.

A ocorrência dos equinócios tem variado entre 20 e 21 de março e entre 21 e 23 de setembro.

A falta de precisão nas datas se deve à imperfeição do calendário gregoriano, que não consegue reproduzir, de forma exata, o período equivalente a um ciclo completo de rotação da Terra em torno do Sol.

A existência dos anos bissextos apenas impede que a defasagem entre calendário gregoriano e calendário sideral vá se acumulando.

Entretanto,  essa correção não é suficiente para tornar os dois calendários perfeitamente sincronizados.

O que é primavera?

O equinócio de primavera marca o início da estação das flores.
O equinócio de primavera marca o início da estação das flores.

A primavera é a estação do ano que se inicia após o inverno e termina com a chegada do verão.

No hemisfério norte, a primavera é chamada de boreal, com início a partir do equinócio de primavera em março, e término no solstício de verão, em junho.

Por outro lado, no hemisfério sul, a primavera é chamada de austral, iniciando-se em setembro e terminando em dezembro, nas correspondentes datas de equinócio e solstício.

Conforme citado, na data do equinócio, o dia e a noite têm durações idênticas, de 12 horas cada.

A partir daí, durante toda a primavera, gradativamente os dias vão se tornando mais longos e as noites, mais curtas.

O solstício de verão, data que marca o fim da primavera e o início do verão, é a data que tem o dia mais longo e a noite mais curta do ano.

Outono, o inverso da primavera

Vale lembrar que o outono apresenta uma evolução que é exatamente oposta à da primavera.

Afinal, o início da primavera no hemisfério norte corresponde ao início do outono no hemisfério sul e vice-versa.

Assim, se na primavera os dias vão se tornando cada vez mais longos e as noites mais curtas, no outono as noites é que vão ficando longas e os dias curtos.

E se o solstício que marca o fim da primavera é o dia mais longo do ano, o que marca o fim do outono é a noite mais longa do ano.

O equinócio de primavera

Há dois equinócio de primavera para os dois hemisférios
Há dois equinócio de primavera para os dois hemisférios.

Quando nos referimos ao equinócio de primavera, de qual data estamos falando?

Afinal, a primavera do hemisfério norte começa em março e a do hemisfério sul começa em setembro.

Podemos considerar exatamente essa especificidade, e passarmos a falar em equinócio de primavera do hemisfério norte e equinócio de primavera do hemisfério sul.

Assim, para qualquer referência a estações do ano, equinócio da primavera, equinócio de outono, solstício de verão ou solstício de inverno, é preciso levar em conta qual é o hemisfério de referência.

Tradições do equinócio de primavera

Há várias tradições para o equinócio de primavera.
Há várias tradições para o equinócio de primavera.

Historicamente, muitos povos do hemisfério norte tomaram o seu equinócio de primavera como referência para diversos eventos.

A ocasião era mesmo propícia, pois os invernos rigorosos faziam da chegada da primavera um verdadeiro recomeço de vida.

Assim, diversos povos estabeleceram, no equinócio de primavera, seus festejos de celebração da vida, da fertilidade e da abundância.

Em muitas localidades, preserva-se até hoje o hábito de fazer uma limpeza geral na casa, de abrir as janelas para receber o Sol após permanecerem fechadas por meses e de se livrar de coisas velhas e acumuladas.

Em diversos calendários da Antiguidade, o equinócio de primavera era considerado o dia de ano novo, ou seja, o ano civil e religioso desses povos começava nessa data.

O calendário persa, utilizado no Irá e em outros países da região, preserva esse formato. A celebração do ano novo persa dura treze dias.

São encontradas referências ao equinócio em tradições tão distantes quanto os cultos maias na América e o xintoísmo no Japão.

Era no equinócio de primavera que os maias realizavam sacrifícios humanos no templo de Chichen Itza.

Os xintoístas fazem nessa ocasião uma celebração em homenagem aos antepassados. No budismo, a data marca a passagem dos mortos para o Nirvana.

O equinócio de primavera e a Páscoa

As próprias festividades da Páscoa guardam uma relação com o equinócio da primavera do hemisfério norte.

Apesar de ser uma celebração ligada de forma estrita aos acontecimentos da vida de Jesus Cristo, a coincidência com o período da chegada da primavera fez com que diversas tradições de origem pagã se mesclassem aos costumes cristãos, dando origem à Páscoa como a conhecemos hoje.

Os exemplos mais clássicos são os ovos e o coelho de páscoa, “importados” das festividades de celebração da primavera.

Além disso, devemos nos lembrar de que o feriado de Páscoa é uma data móvel, cujo cálculo leva em conta as fases da Lua a partir do equinócio de primavera.

Conclusão

Conforme vimos, apesar de pouco lembrado atualmente, o equinócio de primavera constituiu um importante ponto de referência para muitos povos ao longo da história.

E muito dessa tradição se mantém até os dias de hoje.