Menu fechado

Santo Antônio, o santo Casamenteiro

dia de santo antonio

A religiosidade de um povo é marcada por diversas situações. Algumas delas são inusitadas; outras, estimulantes; outras ainda, fantásticas. Contudo, todas as religiões do mundo têm um lado descontraído, inconsequente, até mesmo bem-humorado. A história de Santo Antônio tem todas essas características.

A vida do Casamenteiro Santo Antônio (comemorada em 13 de junho por lembrança de seu falecimento), é plena de momentos marcantes, desses que fazem os fiéis chorarem de emoção e permanecerem boquiabertos pela sabedoria. Afinal, é tido como o santo mais erudito do plano católico, ao lado de Santo Agostinho.

Acontece que as muitas lendas em torno de seu nome, especialmente as que o tornam santo casamenteiro, ofuscam sua história erudita, oradora e disciplinadora.

É o que você vai ver neste artigo sobre a vida, as glórias e os momentos lúdicos de um dos santos mais venerados, conhecidos e aclamados pelo povo. Especialmente a parte do povo feita por moçoilas casadouras.

Muitos nomes, um só Santo Antonio

Se você fizer uma promessa a Santo Antônio de Pádua ou a Santo Antônio de Lisboa ou ainda ao Santo dos Namorados, vai ser atendido por apenas um deles. Afinal, todos são o mesmo.

Essa quantidade de nomes do mesmo santo decorre de hábitos e costumes dos locais em que ele é venerado. Em Portugal, é apenas Santo Antônio; no Brasil, pode ser Santo Antônio de Lisboa( nasceu naquela cidade portuguesa em 15 de agosto de 1195) ou Santo Antônio de Pádua (que faleceu nessa cidade também de Portugal em 13 de junho de 1231).

Aliás, o dia de seu falecimento é o motivo para se celebrar seu dia religioso no Brasil e em seu país natal, além de em todas as ex-colônias de Portugal.

Os festejos para Santo Antônio

Santo Antônio é muito associado aos casamentos.
Santo Antônio é muito associado aos casamentos.

Como você viu acima e certamente já sabia, Santo Antônio é profundamente conhecido e venerado mundo afora. Sua popularidade junto aos leigos está associada a seus milagres e a sua fama; junto a teólogos e clérigos, ela se associa à erudição do santo.

Nesse cenário, o 13 de junho, dia em que Fernando de Bulhões/Santo Antônio morreu (você vai ver mais abaixo que seu nome era Fernando), movimenta centenas de milhares de pessoas no mundo inteiro, durante as festas juninas. Com isso, mantêm-se ativas a fé, a religiosidade e a devoção de seus fiéis.

E, claramente, esse dia altera a rotina econômico-comercial das diversas regiões. Assim:

  • Romeiros adquirem lembranças, hospedam-se em hotéis e pousadas, compram passagens de ônibus ou de avião
  • Instituições sacras organizam missas e festejos
  • Organizações em geral promovem festejos e campanhas
  • Cordelistas e artesãos vendem sua arte
  • Restaurantes preparam pratos típicos e especiais
  • Agências de turismo aumentam suas vendas
  • Prefeituras intensificam arrecadação de divisas e impostos

Unindo famílias e sociedades em Lisboa

No mundo inteiro, festas públicas ou familiares alteram comportamento das pessoas. Em Lisboa, é costume celebrar o dia de Santo Antônio com comidas cuja base é a sardinha. Diz-se que, tanto quanto Cristo, o santo também “pescou alma” e a sardinha representa sua humildade e pobreza.

Ainda naquela cidade, a broa de milho é dividida entre amigos e parentes. Também há caldo verde quente e danças apropriadas, além de brincadeiras diversas. É nesse dia que muitos namoros são acertados entre os pares e muitas promessas de amor eterno são proferidas.

Em muitas cidades, procissões cortam os bairros por vias públicas, por meio das quais a fé e a devoção ao santo são proclamadas. Quermesse, banda de música, teatro, animação de rua, romaria, carrossel, gastronomia, barraquinhas etc. são algumas das iniciativas para celebrar a data.

Interessante: bastante tradicional e contínuo na atualidade, o casamento coletivo de Santo Antônio atrai centenas de casais a Lisboa. Mais de trezentos pares se unem, trocam alianças e juram fidelidade “até que a morte os separe”.

Santo Antônio no Brasil

O dia de Santo Antônio é celebrado durante as festas juninas no Brasil.
O dia de Santo Antônio é celebrado durante as festas juninas no Brasil.

O dia de Santo Antônio é homenageado com orgulho e intensidade em nosso país no dia 13 de junho, em especial nas regiões Norte e Nordeste. Lá, a religiosidade é aparente em cada ato dos devotos.

No Nordeste

A cidade de Barbalha, no Ceará, é uma das que mais promovem festejos em devoção a Santo Antônio. Ali, milhares de devotos se unem para demonstrar alegria e satisfação pela passagem do dia do padroeiro. Os festejos duram vários dias.

Nessa cidade cearense, é costume iniciar as festividades com corte de tronco de árvore. Este deve ser bastante pesado e vai servir de mastro para a imagem de Santo Antônio. Entretanto, o corte é envolvido em sentido de ritual. Faz-se oração ao santo e pede-se autorização à mata para cortar a árvore.

A oração serve de pedido de proteção durante o trajeto e transporte do tronco ao local das festas. Uma multidão se aglomera para ter a honra de levar da madeira. A festa é tem início quinze dias depois.

Você vai ver abaixo algumas das lendas que contornam a existência de Santo Antônio. Na cidade cearense, uma das lendas diz que as jovens em idade de casamento devem tentar tocar o tronco da árvore cortado que é levado por uma multidão. Quem conseguir, vai se casar no mesmo ano.

Na Bahia, todas as paróquias realizam alguma espécie de evento. Há procissões, trezenas, novenas, carreatas e missas especiais. Muitas delas promovem a tradicional distribuição do Pão Bento.

Santo Antônio é particularmente popular nesse estado por conta de forte sincretismo religioso, ou seja, mistura de conceitos de várias religiões. Ali, ele é um dos orixás da umbanda e do candomblé. Na primeira, é sincretizado como Exú; na segunda, como Ogum.

No Sudeste

As comemorações têm caráter de tradicionalismo puro sem total envolvimento com conceitos católicos, ainda que haja muitas paróquias que assumem organização de diversos eventos religiosos.

A cidade de Osasco na Região Metropolitana do Estado de São Paulo tem tanta tradição nos festejos para Santo Antônio que foram incluídos no calendário oficial turístico estadual. Minas Gerais comemora a data há bem mais de 250 anos.

Em diversos município do estado, a data é feriado. É o caso, por exemplo, de Caieiras, que tem o santo como padroeiro.

No Norte

No Amazonas, a cidade de Borba organiza a maior festa do interior do estado dedicada a um santo – Santo Antônio, no caso. Os festejos contam com mais de dois séculos de tradição. Afinal, a basílica municipal detém a única relíquia de Santo Antônio de toda a região.

A vida de Santo Antônio

Sabe-se, por registros históricos, que seu nome primeiro foi Fernando. Por outro lado, especula-se que tenha sido da família Bulhões. Aliás, diz-se também que a família era bem abastada nas regiões de Lisboa.

Diversos escritos da época relacionados ao hoje Santo Antônio dão conta de que, ainda criança, gostava de permanecer em oração. Em sua infância, já dedicava toda fé a Deus e a ele pedia proteção.

Ainda que fosse rico, suas tendências religiosas o levaram a abdicar dos tesouros materiais. Assim, pediu para ingressar na Ordem Agostiniana aos 15 anos de idade. Cinco anos depois, transferiu-se para a Ordem dos Franciscanos.

Início da assimilação de conhecimento

Por conta de pertencer à família rica, Fernando/Santo Antônio esteve sempre próximo a livros e escolas. Assim, desenvolveu fascínio por leitura e absorção de conhecimento. O período que passou nos monastérios apenas intensificou essa necessidade.

Dessa maneira, estudou a Bíblia profundamente. Ainda no templo agostiniano, o jovem Fernando se encantou com relatos de missões da Ordem dos Frades Menores (franciscana). Ao jovem, pareceu que a vida de desapego material era exatamente a que gostaria de viver.

Então, pediu para ser transferido para a OFM franciscana, em que permaneceu pelo restante da vida. Ali, teve contato direto com (São) Francisco, o fundador da Ordem. Juntos, criaram os mais belos sermões de que se tem notícia desde Santo Agostinho.

A erudição e conjunto de conhecimento de Fernando/Santo Antônio ajudaram a OFM a crescer a olhos vistos. A sabedoria do jovem atraiu milhares de pessoas, incluindo homens ricos que muito colaboraram nas restaurações de igrejas, missão assumida por São Francisco.

Saúde debilitada, oportunidade para escrever

Por conta de seu estilo de vida, que não permitia alimentação adequada e, ao mesmo tempo, imprimia ritmo intenso no dia a dia, a saúde do jovem ficou comprometida.

Assim, precisou se recolher, inclusive por sugestão de São Francisco. Foi para um templo próximo à cidade de Pádua. Ali, redigiu vários dos muitos sermões que seriam considerados verdadeiras joias católicas. Por conta deles, recebeu o título de Doutor da Religião Católica.

Aqueles sermões foram posteriormente publicados. Serviram e servem de inspiração para religiosos no mundo inteiro. Eles demonstram toda a capacidade de raciocínio hermético de Fernando/Santo Antônio. A lógica envolvida em seus escritos é estudada em todos os recantos do Planeta.

Ainda em Pádua, adoecido de hidropisia (ou tropesia, acúmulo anormal de líquido nas cavidades interiores do organismo), faleceu em 13 de junho de 1231. Menos de um ano depois, foi canonizado pelo Papa Pio XII.

A fama de Santo Antônio

Santo Antônio tem fama de casamenteiro.
Santo Antônio tem fama de casamenteiro.

Há dezenas de lendas que buscam “comprovar” a força casamenteira de Santo Antônio. Muitas parecem nem ter algo a ver com casamentos ou romances, mas com proteção às mulheres. Veja abaixo algumas delas.

Bebê falador

Diz-se que Santo Antônio conseguiu que uma criança recém-nascida falasse. O milagre teria sido para que a fala do bebê defendesse a mãe. Esta tinha sido acusada de adultério pelo marido.

O peso do papel

Logo após a canonização de Santo Antônio, um comerciante da cidade Pádua chamado Tavares fez uma promessa a Santo Antônio em prol de uma graça. Recebida a graça, nunca se lembrou de ofertar as 400 moedas de prata à igreja do santo, que tinha sido sua promessa.

Na mesma cidade, diversos relatos ouvidos e transcritos contam a história de uma família. Esta não tinha dinheiro para pagar o dote de casamento da filha. A jovem, então, rezou aos pés da imagem de Santo Antônio solicitando providência.

Nota: Em outra versão dessa história, não há família sem dote, mas sim uma velha senhora que, cansada da pobreza, decidiu colocar a filha no mundo da prostituição. A jovem teria pedido um milagre a Santo Antônio para evitar aquela sina.

Em ambas as versões, a jovem recebe um bilhete diretamente a imagem. Nele estava escrito algo semelhante a: “Senhor Tavares, por favor, dê à essa moça o equivalente ao peso desse bilhete em moedas de prata. Assinado: Antônio”.

O comerciante pensou que fosse alguma brincadeira e resolveu entrar nela. Colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro, uma moeda de prata. Por milagre, os pratos não se moveram. O comerciante foi depositando moeda a moeda no prato.

Contudo, a balança se equilibrou somente quando 400 moedas estavam no prato contrário ao do bilhete. Foi então que ele associou os fatos: a promessa jamais cumprida e o peso do bilhete. Deu as moedas à jovem imediatamente.

Então, meses depois, a jovem se casou em cerimônia especial. E o evento se deu na Igreja de Antônio de Pádua.

Milagres de Santo Antônio

Taumaturgia é a característica de um santo ou personagem lendário ou ainda um paranormal de promover fenômenos em geral. A taumaturgia de Santo Antônio é algo simplesmente fantástico. Veja.

Com animais

Ao parar à beira-mar para pensar na quantidade de vezes que peixes são mencionados na Bíblia, todos à volta notaram que centenas desses animais se aproximaram dos pés de Santo Antônio para ouvi-lo.

Em outra ocasião, foi desafiado por Bonvillo, um herege, a provar a presença de Deus em hóstias. Disse o homem que acreditaria nas palavras de Santo Antônio se uma mula – faminta por três dias – preferisse a hóstia à ração.

Aceito o desafio, Santo Antônio consagrou a hóstia e a colocou distante do cocho. A mula, uma vez solta, fartou-se do alimento, mas, antes, ajoelhou-se diante da hóstia e comeu.

Com alimentos

Uma multidão que seguia seus passos para ouvir suas pregações destruiu uma plantação de trigo. O proprietário lamentou a perda da colheita do ano. Contudo, Santo Antônio restaurou a plantação do cereal.

Em outro fato, hereges inimigos das igrejas envenenaram a comida que seria servida a Santo Antônio. Ciente do crime, o santo rezou e se serviu calmamente do alimento, nada sofrendo em qualquer efeito.

Amigo dos fenômenos naturais

Durante uma de suas pregações, uma chuva intensa e perigosa teria vitimado muitos da multidão que o ouvia. Como um milagre, apenas o local em que estavam recebeu algumas gotas de chuvisco.

Proteção às mulheres

Uma de suas mais ardentes ouvintes foi proibida de comparecer a suas pregações pelo marido. Assim, Santo Antônio a fez ouvi-lo à distância de quilômetros.

Com o corpo humano

Santo Antônio rezou diante de um jovem cujo pé fora amputado meses antes. O membro se restaurou diante dos olhos de dezenas de pessoas.

Com a alma humana

Um noviço tinha entrado em fase de descrença. Santo Antônio, com um simples sopro em sua boca, restaurou suas convicções e o jovem continuou seus estudos religiosos até se formar completamente.

Oração a Santo Antônio

A vós, Antônio, cheio de amor a Deus e aos homens que tiveste a sorte de estreitar entre teus braços ao Menino-Deus, a ti cheio de confiança, recorro na presente tribulação que me acompanha.

e peço também por meus irmãos mais necessitados, pelos que sofrem, pelos oprimidos, pelos marginalizados, pelos que hoje mais necessitem de tua proteção.

Fazei que nos amemos todos como irmãos, que no mundo haja amor e não ódios. Ajudai-nos a viver a mensagem de Cristo.

Tu, em presença do Senhor Jesus, não cesses de interceder a Ele, com Ele, por Ele, a favor nosso ante o Pai. Amém.

Como você percebeu, a vida de Santo Antônio é mesmo digna de ser retratada em todo tipo de arte. É até possível que você tenha passado alguma situação associada ao santo. Se for o caso, comente na área de participação abaixo. Ainda que não tenha, fale sobre a impressão que teve deste artigo.