Menu fechado

Feriado da Páscoa

feriado da páscoa

No Brasil, como em muitos países de cultura predominantemente cristã, o feriado da Páscoa é um marco, não apenas para o calendário religioso, mas também para o próprio calendário civil.

Mas qual é o significado desse dia? Ele tem alguma relação com a Páscoa judaica? Por que o feriado da Páscoa não ocorre em uma data fixa do calendário?

Neste artigo, falaremos um pouco sobre esta que é a mais importante celebração da religiosidade cristã.

O significado da Páscoa cristã

O feriado da Páscoa representa a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.
O feriado da Páscoa representa a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.

Para os cristãos, o feriado da Páscoa representa a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.

Conforme é relatado no Novo Testamento, o período que vai dos últimos dias de vida de Jesus até a sua ressurreição é marcado por acontecimentos de profundo significado.

Por essa razão, os cristãos mais fervorosos não celebram apenas o Domingo de Páscoa. Eles observam uma sequência de práticas que tem início algumas semanas antes e término algumas semanas após a Páscoa.

A Quaresma, preparação para a Páscoa

Para sermos mais exatos, de acordo com a tradição do cristianismo ocidental, podemos considerar que há uma preparação para a celebração da Páscoa, que se inicia na Quarta-feira de Cinzas.

Durante 40 dias, os cristãos devem se dedicar ao jejum e à reflexão. É a chamada Quaresma, instituída pela Igreja Católica no século IV, para lembrar os 40 dias de sofrimento em que Jesus Cristo vagou pelo deserto, sendo tentado pelo demônio.

Esse período de 40 dias se encerra no Domingo de Ramos, exatamente uma semana antes do Domingo de Páscoa.

A Semana Santa

Imediatamente após o Domingo de Ramos, tem início a Semana Santa, período que marca os últimos dias de vida de Jesus Cristo, sua morte e sua ressurreição.

A Quinta-feira Santa é um dia particularmente significativo nessa semana. Em seu penúltimo dia de vida, Cristo conduziu a cerimônia do Lava-pés e fez sua Última Ceia.

A Sexta-feira Santa é o dia da crucificação de Jesus Cristo no Calvário. Segue-se a ela o Sábado de Aleluia. E finalmente, no Domingo de Páscoa, ocorre a sua ressurreição.

Após a Páscoa

Passado o Domingo de Páscoa, há ainda um período de 50 dias, chamado de Época de Páscoa, que culmina com o Dia de Pentecostes. Os 50 dias correspondem ao período em que, após sua ressurreição, Cristo permaneceu na Terra orientando seus discípulos.

O Dia de Pentecostes corresponde à data em que os discípulos de Cristo receberam o Espírito Santo.

Há ainda o Dia de Corpus Christi, que celebra o mistério da eucaristia e ocorre 60 dias após o Domingo de Páscoa. Cai sempre em uma quinta-feira, uma alusão à Quinta-feira Santa e à Última Ceia.

A relação entre a Páscoa cristã e a Páscoa judaica

Há diferenças entre o feriado da páscoa cristã e judaica.
Há diferenças entre o feriado da páscoa cristã e judaica.

Existe uma relação de natureza histórica entre a Páscoa cristã e a Páscoa judaica. A própria palavra “Páscoa” tem origem na palavra hebraica “Pessach”, que significa “passagem”.

Isso porque, toda a sequência de acontecimentos que marcou a morte e a ressurreição de Jesus Cristo ocorreu exatamente no período em que os hebreus celebravam a sua Pessach.

A Pessach celebra a conquista da liberdade pelos hebreus ante a escravidão imposta pelo faraó Ramsés II do Egito.

Durante os primeiros séculos da era cristã, as duas datas sempre foram comemoradas em um mesmo dia.

Mudanças introduzidas pela Igreja Católica no ano 325 fizeram com que as datas deixassem de coincidir na maioria das vezes.

Essas mudanças passaram a privilegiar o dia da semana, ou seja, estabeleceram que a ressurreição de Cristo sempre será celebrada em um domingo, que a crucificação sempre será lembrada em uma sexta-feira e que a Última Ceia sempre terá vez em uma quinta-feira.

Por outro lado, a Páscoa judaica pode ocorrer em diferentes dias da semana.

O feriado da Páscoa no calendário cristão

O dommingo marca o dia do feriado da Páscoa cristã.
O dommingo marca o dia do feriado da Páscoa cristã.

A Páscoa está no centro do calendário cristão, ou seja, as datas de outras importantes celebrações são definidas tendo a Páscoa como referência.

As seguintes datas ou períodos guardam relação direta com a Páscoa:

  • A Quarta-feira de Cinzas (e, portanto, o Carnaval);
  • A Quaresma (período de 40 dias entre a Quarta-feira de Cinzas e o Domingo de Ramos);
  • O Domingo de Ramos (domingo que antecede a Páscoa);
  • A Semana Santa;
  • O Dia de Pentecostes (50º dia após a Páscoa);
  • O Dia de Corpus Christi (nove semanas após a Quinta-feira Santa).

Como se determina a data de celebração da Páscoa

A celebração da Páscoa chama a atenção pelo fato de não ocorrer em uma data fixa. E, conforme vimos anteriormente, diversas outras datas têm sua celebração definida a partir da data da Páscoa.

A regra para determinação do dia da Páscoa foi estabelecida no ano 325 pelo Conselho de Niceia.

Segundo essa regra, a Páscoa cristã deve ser comemorada sempre no primeiro domingo posterior à primeira lua cheia da primavera no Hemisfério Norte (que corresponde ao outono no Hemisfério Sul).

Assim, a cada ano o Domingo de Páscoa pode ocorrer dentro de um intervalo entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Conforme destacado, essa tradição refere-se à do cristianismo ocidental, notadamente a da Igreja Católica sediada no Vaticano.

Os cristãos ortodoxos, por exemplo, mantêm outras tradições de celebração e outro critério de determinação da data da Páscoa. Eles adotam até mesmo outro calendário, o juliano.

O feriado da Páscoa no calendário civil

O feriado da Páscoa no calendário civil é nacional.
O feriado da Páscoa no calendário civil é nacional.

Nos países em que há predominância de população cristã, normalmente a Páscoa é instituída como feriado nacional.

Além do Domingo de Páscoa, há países que também decretam feriados na Quinta-feira Santa e/ou na Sexta-feira Santa e/ou na segunda-feira seguinte.

Mesmo quando não há um feriado nacional definido, podem existir ainda outras variantes para possibilitar a celebração da Páscoa, como os feriados locais, os feriados bancários ou os pontos facultativos.

Isso torna a Páscoa um período diferenciado no calendário civil de cada localidade ou setor da sociedade.

No Brasil, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, a Sexta-feira Santa não é um feriado nacional, mas a maioria absoluta dos municípios a têm como feriado municipal.

Já para a Quinta-feira Santa, é comum encontrarmos a observância de ponto facultativo em algumas instâncias e localidades.

Conclusão

O feriado da Páscoa, presente em muitos calendários religiosos e civis, revela a profunda influência das culturas judaica e cristã sobre a civilização ocidental.

E mesmo em comunidades não cristãs, muitas vezes se nota a presença de alguns costumes típicos do feriado da Páscoa.