Menu fechado

Feriados no Mato Grosso do Sul

No Mato Grosso do Sul, qualquer situação é forte motivo para se degustar a sobá (ou soba). E, antes ou depois dela, provar e saborear o tererê. Nesse caso, qualquer um dos feriados no Mato Grosso do Sul faz que o consumo dessas iguarias aumente.

Afinal, é em momentos como esses que as famílias se reúnem, que as conversas são jogadas fora, que o prazer de ser sul-mato-grossense se evidencia.

Nesse estado, há uma das menores concentrações de habitantes por quilômetro quadro, semelhante à de Sergipe. Isso resulta em também ser um dos estados com menor população, ao lado de unidades federativas como Roraima e Amapá.

Veja abaixo neste artigo essas curiosidades sobre feriados no Mato Grosso do Sul e também o que são sobá e tererê. É certo que você vai ficar cm água na boca.

Feriados no Mato Grosso do Sul: o estado

Mato Grosso do Sul é o mais novo estado da Região Centro-Oeste. É vizinho do Mato Grosso, que está ao norte; de São Paulo, que se localiza a leste; do Paraná, que se encontra a sudeste; de Goiás e das Minas Gerais, que estão mais a nordeste.

Além disso, se avizinha também com dois países: Bolívia a oeste e Paraguai ao sul e sudoeste. Isso faz que sua área alcance mais de 357 mi km². Dessa forma, é maior que a Alemanha. Entretanto, como dito acima, não é populoso. Tem pouco mais de 2,6 milhões de habitantes. Certamente, a Capital, Campo Grande, é o maior município.

Mato Grosso do Sul tem divisão econômico-social composta por onze microrregiões e quatro mesorregiões. Elas formam os 79 municípios do estado, tendo, dentre eles, apenas quatro com mais de 100 mil habitantes, sendo a Capital um deles.

Interessante: a maioria do território do estado é coberta pelo Pantanal Mato-grossense, mais na extremidade ocidental.

A economia do estado do Mato Grosso do Sul é constituída por indústria, agricultura e pecuária. Soja, milho, algodão, arroz, cana-de-açúcar são os principais produtos agrícolas. Já a pecuária trata de gado bovino e a mineração, de ferro, manganês e calcário.

Entretanto, a indústria tem crescido sobremaneira, em especial alimentícia, de cimento, de mineração. Dessa forma, sua participação no crescimento econômico do estado tem sido surpreendente.

Feriados no Mato Grosso do Sul: um estado a fórceps

E o procedimento cirúrgico durou décadas e décadas. O coronel João da Silva Barbosa liderou revolta popular no início do século XX. Segundo registros históricos, o próprio coronel alegava que estava atendendo a anseio popular dos habitantes do sul do então estado único, o Mato Grosso.

Porém, sabe-se, também por registros, que houve enorme pressão do governo central, quando a capital do país ainda era Rio de Janeiro. Até então, a região do sul do estado único tinha sido formada por combatentes nos conflitos sul-americanos. A Guerra do Paraguai foi o mais sangrento deles, nos meados da segunda metade do século 19.

As microrregiões que eles ocuparam foram convertidas em povoados e cidades tão logo os conflitos se encerraram. Dourados, Miranda, Coxim etc. são exemplo dessa conversão.

Por outro lado, não se encontra nos registros e livros históricos algum motivo realmente evidente para a separação do estado único em dois. Sabe-se, porém, que a parte sul do estado aderiu ao movimento revolucionário de 1932 a fim de obter apoio dos estados da região sudeste à ansiedade por separação.

Assim, a população do sul entrou na revolução já sabendo que, em caso de vitória, conseguiriam que o estado fosse dividido. E isso demorou mais algumas décadas.

Quando um não quer, dois brigam

O sul queria, mas o norte não. Nesse caso, o dito popular “quando um não quer, dois não brigam” não pôde ser aplicado. O norte do estado temeu que sua economia perdesse força com a separação. Além disso, os políticos da Capital, Cuiabá, recearam enfraquecimento perante a população e perda de apoio financeiro da Capital.

Porém, o sentido emancipacionista teve apoio do regime militar ditatorial, especialmente de Ernesto Geisel. O governo da época alegou que a extensão territorial do estado diminuía a capacidade administrativa, o que resultava em penúria para toda a população.

Entretanto, sabe-se que Cuiabá não mantinha grandes amores pelo partido governista, o Aliança Renovadora Nacional – Arena. Então, os generais resolveram dividir o estado para também dividir os rivais. E isso foi feito sem qualquer consulta popular, o que foi alvo de críticas diversas.

Assim, em 11 de outubro de 1977, o estado foi oficialmente dividido. E, no primeiro dia de 1979, Geisel elevou o território do sul ao status de estado federativo.

Feriados no Mato Grosso do Sul: 11 de outubro

Há apenas o dia 11 de outubro como um dos feriados no Mato Grosso do Sul. Os outros são feriados nacionais.

Veja a lista de feriados no Mato Grosso do Sul:

  • Segunda e terça-feira de Carnaval – Pontos facultativos
  • Quarta-feira de Cinzas – Ponto facultativo até às 13 horas
  • Paixão de Cristo – Feriado nacional
  • 21 de abril, Tiradentes – Feriado nacional
  • 1º de maio, Dia Mundial do Trabalho – Feriado nacional
  • Corpus Christi – Ponto facultativo
  • 07 de setembro, Independência do Brasil – Feriado nacional
  • 11 de outubro, Criação do Estado – Feriado estadual
  • 12 de outubro, Nossa Senhora Aparecida – Feriado nacional
  • 28 de outubro, Dia do Servidor Público – Ponto facultativo
  • 02 de novembro, Finados – Feriado nacional
  • 15 de novembro, Proclamação da República – Feriado nacional
  • 24 de dezembro, véspera de Natal – Ponto facultativo
  • 25 de dezembro, Natal – Feriado nacional
  • 31 de dezembro, Ano Novo – Ponto facultativo

Comemorações dos feriados no Mato Grosso do Sul: 11 outubro

Estranhamente, quase não há comemorações ou eventos específicos para lembrar a data da fundação do estado. Nesse contexto, o dia que poderia ser um dos feriados no Mato Grosso do Sul mais festejados em termos cívicos é, a bem da verdade, apenas mais um dia.

A Assembleia, via de regra, faz uma ou outra menção. No meio popular, o dia é lembrado ocasionalmente em alguma matéria de jornal local. Apenas. Assim, ainda que haja poucos feriados no Mato Grosso do Sul, o dia não é muito comemorado.

Feriados no Mato Grosso do Sul: festividades diversas

Por outro lado, o estado é pleno de festividades tradicionais. Elas estão espalhadas pelo ano inteiro e por todo o território. Veja agora algumas delas.

Festa da Farinha – 1ª Quinzena de Maio

A organização fica por conta do pessoal do município de Anastácio na primeira quinzena de maio. Há shows de música, apresentação de espetáculo de humor e repentismo etc.. Entretanto, sendo regada a muita comida típica, são os pratos o ponto alto das festividades.

Assim, o movimento na praça de alimentação já começa cedo. A Secretaria de Cultura de Anastácio organiza apresentação de comidas triviais; porém, há cardápio especial somente com pratos típicos e derivados da mandioca.

Afinal, a festa é dedicada a pratos que têm a farinha como base. Mas duplas sertanejas de apresentam o tempo todo, como Rio Negro e Solimões e João Lucas e Walter Filho.

Festa do Tomate – Outubro

A festividade movimenta todos os produtores do fruto e quase toda a população em Antônio João. Porém, há visitas e agricultores de diversos outros municípios que aproveitam a oportunidade para fazer grandes negócios.

São centenas de pessoas do campo e da cidade que acorrem ao município para participar da programação. Há desde cursos – o produtor do fruto maior fruto e do mais bonito leva um belo prêmio – à apresentação de artistas regionais.

Festival Pantaneiro – Outubro/Novembro

Um estado que é quase todo coberto pelo Pantanal não poderia deixar de organizar festividades sobre esse fato. Afinal, a cultura pantaneira com seus trejeitos e folclore e hábitos deve ter dias para destaque. Tais dias poderiam muito bem ser feriados no Mato Grosso do Sul.

Festival de Inverno de Bonito – Julho

O evento acontece desde 1999. Artistas de praticamente todo o país se apresentam nos dias de organização; porém, o maior número é mesmo do estado. É tão grandioso que muitos pleiteiam que seja um dos feriados do Mato Grosso do Sul.

Com o passar do tempo, o Festival tem ganhado força e fama no Brasil, sendo esperado por muitos turistas de todas regiões. Afinal, além de música, há ações culturais, dança, circo, cinema, palestras, mostras de artesanato.

São mais de quinze horas de atividades gratuitas. A iniciativa contempla fomento da cultura local.

Festa do Peão – Agosto

Cassilândia promove anualmente a Festa do Peão. Entretanto, o evento não se limita às apresentações da destreza dos cavaleiros. Há uma série de oportunidade para manifestação da cultura local.

Além disso, é momento especial para movimentação da economia da região. Centenas de tipos de souvenirs, artesanato, comidas típicas são incluídas nos eventos de forma geral.

Por outro lado, festas de peão já ganharam status grandioso no país. Portanto, é possível que venha a ser um dos feriados no Mato Grosso do Sul.

Festival América do Sul Pantanal

O festival acontece em Corumbá, a pouco mais de 400km de distância da Capital, Campo Grande. Trata-se de centenas de atividades culturais expostas em quase vinte horas de eventos.

Os organizadores pretendem fazer representar a esmagadora maioria dos países do sul do Continente Americano. Assim, a cultura de todos os países é contemplada em arte, palestras e negócios.

Além disso, o festival tem sido usado por empresários de toda da América do Sul como momento para negociações. Certamente, esse contexto eleva bastante o potencial econômico da região.

Festa do Peixe – Outubro

Em Coxim, todo dia é dia de peixe. Porém, outubro inteiro é peixe para todo lado. Além de apresentação musical, artesanato, comércio de lembranças e manifestação cultural, há ainda o concurso de pesca. Em verdade, esse é o ponto alto das festividades.

Trata-se de momento importante para divulgação das atividades pesqueiras não apenas do município, mas igualmente de todo o estado.

Festa da Melancia – Novembro

A cidade de Eldorado é especialista na produção do fruto. Seus quase vinte milhões de toneladas anuais são enviados para diversos estados do país e para a América do Sul, como Paraguai e Argentina.

Nesse caso, nada mais importante que divulgar sua capacidade produtiva oferecendo uma espécie de festival de melancia, com palestras, roda de negócio, shows musicais etc.

Veja alguns dados curiosos sobre o estado

Apenas 23 cidades de Mato Grosso do Sul têm mais de vinte mil habitantes. Delas, além da Capital (com mais de 850 mil moradores), destacam-se Dourados, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porá.

Quase um terço da população é constituído por não nativos do território. Ou seja, a quantidade de migrantes (São Paulo, Paraná, Minas Gerais etc.) e imigrantes (Paraguai, Bolívia, Colômbia etc.) é imensa.

Há mais peixes no Pantanal do Mato Grosso do Sul que a soma de todos os peixes de todos os rios da Europa. Além disso, lá há centenas de espécies de répteis e mais de seis mil tipos de aves.

A onça-pintada possui fama como símbolo do Mato Grosso do Sul.

Adendo: soba e tererê

Sobá é espécie de massa à base de farinha de trigo. Tem origem oriental e não se sabe exatamente como chegou às regiões centrais do Brasil. Entretanto, bateu em cheio no paladar do sul-mato-grossense.

Pode ser servida com ou sem ingredientes complementares. O gosto dos habitantes do estado aprecia sobá com caldo de peixe, shoyu, açúcar e mirin. É possível apreciar também com carne e outros pratos japoneses.

Apesar de oriental, o sobá foi instituído como prato típico do Mato Grosso do Sul, especialmente do Campo Grande. Aliás, essa condição foi até mesmo grafada no Diário Oficial do Município de 10 de fevereiro de 2018. Ou seja, tornou-se símbolo gastronômico do estado.

Assim, já está classificado como Patrimônio Imaterial.

Já o tererê é bebida feita à base de erva-mate no alto no Mato Grosso do Sul. O charme do ritual de servimento é que ela deve ser oferecida em vasilha feita de chifre de boi.

Tanto quanto o sobá, o tererê já está registrado como Patrimônio imaterial do estado do Mato Grosso do Sul. Afinal, o estado é o maior produtor da erva que é base para a bebida. Isso também é interessante porque a planta tem origem pré-colombiana.

Então, é isso. Os feriados no Mato Grosso do Sul são poucos, mas são muitas as festividades. Por acaso você conhece alguma peculiaridade sobre o estado? Tem alguma curiosidade? Gostaria de saber mais alguma coisa? Deixe seu registro na área de comentários abaixo.