Menu fechado

Feriados no Piauí

O Guinness Book diz que a “maior festa regional ao ar livre do mundo” são os festejos de São João em Caruaru, Pernambuco. Aliás, a gente comentou isso no artigo sobre aquele estado. “Sem problemas”, dizem os piauienses, o livro diz também que nós temos do maior “corso”. Para o estado, isso é quase um dos feriados no Piauí.

Se os festejos do corso não ocorressem no Carnaval, que é ponto facultativo, seria mesmo um dos feriados no Piauí. Então, você sabe o que é “corso”?

Piauí também tem o maior cajueiro do mundo. Suas raízes se espalham por quase nove mil metros quadrados de raízes. É o maior do mundo ainda que os potiguares de Pirangi pleiteiem esse título também.

Mais peculiaridades

O que o resto do continente americano também não tem é a maior concentração de sítios arqueológicos. Fica no Parque Nacional da Serra da Capivara. Tem sítio para arqueólogo nenhum botar defeitos São mais de 700 sítios com todo tipo de indícios reais: peças em cerâmicas, pinturas rupestres, ossos fósseis etc.

Além disso e ainda falando em ancestralidade, há registros oficiais importantes para a arqueologia do mundo. Testes com elementos de datação comprovam que havia humanos há mais de 40 mil anos no Piauí. Isso pode ser uma das provas mais antiga da presença do homem nas américas.

Enquanto há esses e outros motivos para se comemorar como se fossem feriados no Piauí, por outro lado, grande parte do território (mais de 80%) está no chamado Polígono das Secas. Você sabe o que é “Polígono das Secas”?

E, ainda, Piauí é o estado brasileiro com menor área praiana. Seu litoral não passa de 66 quilômetros de extensão. Historiadores e geógrafos dizem que talvez isso tenha explicação: o estado foi colonizado no sentido do interior a oeste para o litoral a leste. Assim, houve pouco interesse em angariar terras praiana.

Ainda, a Capital, Teresina, é a única que se encontra no interior de unidades federativas. Isso a torna também a única Capital que faz divisa com outro estado. Já a palavra “piauí” tem origem tupi-guarani. Significa “rio das piabas”.

(Você sabe o que é piaba? Não? Veja no capítulo “Adendo” o que é e também conheça o “Polígono das Secas”, os “corsos” do Piauí e o maior cajueiro do mundo.)

Feriados no Piauí: o estado

A área de mais de 251,5 milhões de quilômetros quadrados do estado está entre Bahia a sul e sudeste, Ceará e Pernambuco a leste, Tocantins a sudoeste e Maranhão a oeste. O Oceano Atlântico chega ao estado pelo norte e faz a menor extensão praiana do Brasil, como a gente comentou acima.

Há pouco mais de 3,2 milhões de habitantes no estado. Teresina é a Capital e, assim, o município mais populoso. Seu nome é homenagem à imperatriz Teresa Cristina Maria de Bourbon ao mesclar seus dois primeiros nomes. Era chamada “Mãe dos Brasileiros” e foi esposa de D. Pedro II.

Os 224 municípios do Piauí fazem quatro mesorregiões e quinze microrregiões. Estas constroem a economia do estado. Na indústria, destacam-se a química, a de bebidas e a têxtil; na agricultura, mandioca, arroz e cana-de-açúcar. Além disso, a pecuária também é forte no estado.

Da Bahia, de Maranhão e finalmente do Piauí

O estado foi colonizado por europeus ainda no século XVII. Praticamente todo o seu território pertenceu à Bahia e, em 1718, a Coroa decidiu agregá-lo à província do Maranhão.

Somente quase um século depois, em 1811, foi elevado à categoria de província independente por ordem D. João. Foi quando os vaqueiros baianos chegaram ao estado em busca de bons pastos para seu gado.

Interessante: a gente já teve chance de comentar uma questão importante em vários artigos. A Independência do Brasil em setembro de 1822 não tornou o país inteiro independente já a partir do dia seguinte. Isso se deu porque a notícia chegou meses e até mais de um ano para chegar às províncias mais distantes dos centros administrativos portugueses.

Além disso, a declaração de independência e a aceitação da última província ocorreram diversos conflitos nos quais morreram muitos brasileiros. Portanto, o Grito do Ipiranga foi início e não fim de um um estado conflituoso entre o Brasil e Portugal.

Piauí em luta

Dessa maneira, tropas fiéis a Portugal tomaram diversas regiões a fim de combater a ideia independentista. Isso ocorreu também no Piauí. Assim, grupos de combate ocuparam a região de Parnaíba. Houve contendas sangrentas. Porém, os brasileiros venceram os conflitos.

Entretanto, a vitória aconteceu somente em 1823. Durante as batalhas da Confederação do Equador e da Balaiada, o Piauí decidiu entrar na briga. Três décadas depois, em 1852, a capital da então província foi transferida de Oeiras para Teresina Foi somente a partir disso que houve intenso crescimento econômico no estado.

Feriados no Piauí

Buscamos informações mais contundentes sobre feriados no Piauí no âmbito estadual. Entretanto, nem mesmo órgãos oficiais deixam claro que haja as duas datas abaixo. Portanto, este artigo se baseia em dados históricos recentes.

13 de março – Dia da Batalha do Jenipapo

As comemorações do Dia da Batalha do Jenipapo fazem parte dos feriados no Piauí. Trata-se de organização de eventos cívico-militares que apresentam também ações religiosos (missas em diversos horários), culto de ação de graça e cessão de medalhas de honra ao mérito.

Aliás, o título identificador do conflito faz referência a um dos mais importantes rios do estado, o Jenipapo.

Além disso, autoridades promovem desfile militar próximo ao Monumento Heróis do Jenipapo, quando há homenagens nos túmulos dos combatentes. Órgãos diversos produzem apresentação de espetáculos em homenagem à batalha.

É nesse momento que autoridades condecoram dezenas de cidadãos com a Medalha do Mérito Renascença do Piauí e outras dezenas a Medalha Heróis do Jenipapo.

Os organizadores costumam criar espetáculos específicos para a data. Via de regra, centenas de colaboradores voluntários participam diretamente. São técnicos, atores e produtores que se esforçam para destacar o espírito de heroísmo dos que lutaram nas batalhas.

As celebrações

As celebrações começaram a ganhar mais força a partir de 2005, mas já havia alguns eventos comemorativos nas décadas anteriores. Afinal, trata-se de uma das datas cuja importância é intensa na história do estado e, por isso, é um dos feriados no Piauí.

Além disso, as batalhas que se sucederam representaram enorme força nos movimentos de independência do Brasil. Ajudaram muito na consolidação do território nacional.

Assim, nessa data, há ainda presença das forças armadas e de forte representatividade do governo federal.

19 de outubro – Dia do Piauí

Essa data é outro dos feriados no Piauí com caráter cívico-militar. Ela alude às comemorações da adesão do Piauí à Independência do Brasil. É intitulado como “O Dia do Piauí”. Assim, há também atos cívico-militares, além de celebrações religiosas, em diversos municípios do estado.

Via de regra, a Igreja Batista Nacional Bereana celebra a data com culto de ação de graças no fim desse dia. Ela fica no Bairro Mocambinho, em Teresina. Por outro lado, tanto quanto na comemoração ao outro dos feriados no Piauí – 13 de março -, autoridades entregam medalhas.

Nesse caso, as medalhas são da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí. O evento ocorre, via de regra,, no Teatro Saraiva, em Parnaíba. Trata-se da mais alta comenda do Estado, que é oferecida a personalidades desde 1973. Representa a admiração, o reconhecimento e a honra do piauiense sobre aquelas personagens reais.

Normalmente, as celebrações são encerradas com dois eventos: homenagens aos heróis de 1822 e missa de ação de graças na Catedral de Nossa Senhora das Dores, em Teresina.

Piauí e a Independência do Brasil

Em verdade, a data é coroação das lutas por independência da província do Piauí. Ela foi intensificada por personalidades como Simplício Dias da Silva, João Cândido de Deus e Silva, Domingos Dias, entre outros, em 19 de outubro de 1822, ou seja, um mês e meio depois do Grito do Ipiranga em S. Paulo.

Foi também nessa data que as autoridades do estado reconheceram D. Pedro I como imperador constitucional. Entretanto, o povo quase ficou sem um dos feriados no Piauí, pois o estado permaneceu sob domínio português até 24 de janeiro de 1823.

Contudo, a luta foi intensa. O Brigadeiro Manoel de Sousa Martins definiu a independência na então Capital, Oeiras. Foi nesse ano, em 13 de março, que ocorreu a sangrenta Batalha do Jenipapo, que é o outro dos feriados no Piauí mencionado no subcapítulo acima.

Datas confusas nos feriados no Piauí

Frequentemente, 19 de outubro é motivo de confusão por parte dos piauienses. Via de regra, todos imaginam que se trata do aniversário de fundação do estado. Entretanto, isso não corresponde à verdade. Aliás, diversas outras datas são confundidas entre si no estado.

Na verdade, a origem da capitania se deu em 1758. O reconhecimento oficial desse fato aconteceu no ano seguinte.

Adendo: o Polígono, o Corso, o Cajueiro

Os itens acima do título constituem um motivo de tristeza e dois de alegria. O primeiro é fato contra o qual o povo do Piauí luta muito; o segundo, a luta é para manter a tradição de povo alegre, o terceiro, razão de agradável disputa.

Polígono das Secas

A natureza deixou um pouco de sua tristeza (muitos diriam “maldade”) em certa área da Região Nordeste do Brasil. Nesta, a seca é intensa. E muitas vezes mortal. Os problemas agudíssimos de estiagem podem se estender por anos a fio.

São 1348 municípios da Região Nordeste “enquadrados” no Polígono. E por força de Lei. Trata-se de área de mais de 1,1 milhão de quilômetros quadrados que chega a Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais.

Com a Lei como instrumento, diversas ações são desenvolvidas para ajudar na sobrevivência dos habitantes daquela região. No caso do Piauí, quase a totalidade de seu território está dentro dessa área.

Corso carnavalesco

A “coisa” começou como festejos para as elites no período de Carnaval. Tratou-se de promoção de desfiles de carros, via de regra, de luxo, enfeitados com os mais diversos motivos. Daí ser destinado à elite, já que apenas essa classe social dispunha de condições para participar.

Durante a passagem, a população tida como classe sem posses participava apenas das calçadas da vias públicas Ela jogava serpentina, confetes, serpentinas, lança-perfume nos ocupantes dos outros veículos.

A brincadeira tem origem na Europa. Tornou-se muito popular em diversas cidades no Brasil nos fins do século XIX e inícios do século XX. Em verdade, foi uma espécie de cópia de outros festejos europeus chamados batalhas de flores.

Antes do advento dos carros, cavalos puxavam charretes, cabriolés e aranhas (veículos de duas rodas). Os festejos ganharam força em muitos municípios do Piauí. Tanto que foi parar no Guinness Book.

Em 2012, o juiz do Guinness Book, Michael Janela, declarou o corso de Teresina como o “maior desfile de carros enfeitados do mundo”. Ele constatou a quantidade de veículos de um camarote durante o desfile.

Naquele ano, mais de quatrocentos veículos se apresentam no desfile. Além disso, a alegria, descontração e originalidade das fantasias dos carros chamou a atenção de todos, especialmente do juiz.

Maior Cajueiro do Mundo. Ou não

Até poucos anos, havia um singela, constante e hilária disputa entre Piauí e Rio Grande do Norte pelo título de estado com o maior cajueiro do mundo. O título pertence a Parnamirim, município do estado “rival”. Pelo menos no Guinness Book.

Porém, pesquisadores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e da Universidade Federal do Piauí (UFPI) demonstraram por cálculos que o “Cajueiro Rei” piauiense é o maior do mundo. Isso é fato desde meados de 2016. Os estudos e pesquisas comprovaram também que ambos os cajueiros são da mesma espécie.

Assim, sabe-se hoje que o cajueiro potiguar tem 8.500m² e o piauiense apresenta 8.800m². Nesse caso, basta que as autoridades solicitem presença de juízes do Guinness Book para que se promova a alteração nos registros.

Antes que isso pareça futilidade, é bom saber que o registro como maior cajueiro do mundo pode trazer excelentes benefícios para o estado. Tanto em termos turísticos quando sociais. Já há projetos para transformação do local como um dos maiores pontos de fluência turística do estado.

Então é isso. Os feriados no Piauí ainda são motivo de controvérsia. Porém, o corso, o cajueiro e outros fatos são fortes candidatos. Se você tiver mais questões ou curiosidade sobre esse terma, use a área de comentários abaixo. Ou então use o mesmo campo para registrar sua opinião sobre este artigo.