Menu fechado

O que significa o número de cartão de crédito

número de cartão de crédito

Número de cartão de crédito é algo de difícil memorização, afinal são muitos dígitos em sequência, aparentemente aleatórios, sem nenhuma conexão com outros dados como CPF, banco, agência ou conta.

Além do mais, aparentemente não há uma padronização. Alguns cartões, como os da Visa, Mastercard e Elo têm dezesseis dígitos, outros têm quinze (American Express) e outros ainda têm catorze (Dinners Club).

Mas você sabia que toda essa numeração tem significados específicos? Você sabe quais são eles? É o que veremos neste artigo.

Agrupando os dígitos do número de cartão de crédito

O número de cartão de crédito é necessário para o processo de compra.
O número de cartão de crédito é necessário para o processo de compra.

Para entender o significado de um número de cartão de crédito, o primeiro passo é identificar os grupos em que ele se subdivide.

Assim, temos:

  • O Número de Identificação do Emissor (Issuer identification Number – IIN)
    • Formado pelos seis primeiros dígitos do número do cartão.
    • Originalmente, esse grupo de dígitos era conhecido como BIN (Bank Identification Number).
    • Como os cartões de crédito passaram a ser emitidos por outras instituições além dos bancos, adotou-se o nome IIN (Issuer Identification Number).
  • O Número da Conta (Account Number ou Account Identifier)
    • A sequência do sétimo ao penúltimo dígito, utilizada para a identificação do cliente.
  • O Dígito Verificador (Check Sum)
    • O último dígito da sequência, utilizado para verificações de segurança.
  • O Código de Segurança do Cartão (Card Security Code – CSC)
    • Além da numeração principal, formada pelos três grupos de números acima descritos, existe ainda um número de segurança conhecido como CSC (e outros nomes), composto por três ou quatro dígitos, utilizado em transações não presenciais.

O Número de Identificação do Emissor (IIN)

O número de cartão de crédito obedece um padrão para a sua identificação.
O número de cartão de crédito obedece um padrão para a sua identificação.

Existe uma norma internacional, conhecida como ISO/IEC 7812, definida em 1989, que estabelece padrões para a identificação de um cartão eletrônico.

ISO é a International Organization forr Standardization (Organização Internacional de Padronização). Embora a sigla em inglês devesse ser IOS, adotou-se o nome ISO (do grego isos, que significa igualdade) para ser usada no mundo inteiro, independentemente do idioma do país.

A ISO foi criada em 1947, na Suíça, com o objetivo de estabelecer padrões de uso internacional em diversos temas de interesse econômico e técnico. No Brasil, a entidade responsável pelas normas ISO é a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

IEC é a International Eletrotechnical Comission (Comissão Eletrotécnica Internacional), uma entidade fundada em 1906, com sede na Suíça, encarregada de estabelecer padrões para tecnologias elétricas, eletrônicas e relacionadas.

O Identificador da Indústria Principal (Major Industry Identifier – MII)

O número de cartão de crédito obedece um padrão de números agrupados.
O número de cartão de crédito obedece um padrão de números agrupados.

Segundo a norma ISO/IEC 7812, dentro do grupo de seis dígitos que compõem o Número de Identificação do Emissor, o primeiro dígito é particularmente relevante.

Conhecido como Identificador da Indústria Principal (Major Industry Identifier – MII), esse dígito indica o setor de origem do emissor do cartão. Assim, temos:

  • Se o MII é 1 ou 2, indica que trata-se de um cartão emitido por uma companhia aérea.
  • O MII deve ser igual a 3 para cartões emitidos por empresas de viagens ou entretenimentos.
  • MII igual a 4 ou 5 é para cartões emitidos por instituições financeiras.
  • MII igual a 6 é para cartões emitidos por bancos ou lojas de varejo.
  • MII igual a 7 refere-se a cartões emitidos pela indústria do petróleo.
  • MII igual a 8 para cartões de empresas de telecomunicações.
  • MII igual a 9 engloba os cartões emitidos por outros setores ou até mesmo por governos.

A bandeira do cartão

O número de cartão de crédito acompanha a bandeira do cartão.
O número de cartão de crédito acompanha a bandeira do cartão.

Seguindo as normas acima descritas, defini-se que cartões de débito ou de crédito obrigatoriamente devem ter o primeiro dígito igual a 3, 4, 5 ou 6.

Avançando nessa codificação, e já considerando o mercado brasileiro, no caso dos cartões de crédito, foram estabelecidos dígitos específicos para cada bandeira. Por exemplo:

  • Para cartões Visa, o primeiro dígito é sempre 4, independentemente dos dígitos seguintes.
  • Para cartões Mastercard, o primeiro dígito é sempre 5 e o segundo dígito pode ser 1, 2, 3, 4 ou 5, ou seja, cartões Mastercard sempre começam por 51, 52, 53, 54 ou 55.
  • Os cartões Dinners Club sempre começam por 36, 38 ou ainda 301 ou 305.
  • Os cartões American Express sempre começam por 34 ou 37.
  • Cartões Aura começam por 50.
  • Cartões Hipercard começam por 38 ou 60.
  • Cartões ELO adotam numeração mais específica, como 636368, 438935, 504175, 451416, 636297, 5067, 4576, 4011 e 506699.

A finalidade do cartão

Além da identificação da bandeira, os dígitos restantes do MII ficam reservados para a identificação da finalidade do cartão, que pode se referir, por exemplo, a sistemas de fidelidade, convênios médicos e outros. Cada empresa adota uma categorização própria para os cartões que emite.

O Número da Conta

O grupo que vai do sétimo ao penúltimo dígito é reservado para a identificação do cliente. Nessa sequência constam informações como a agência bancária do cliente ou as bandeiras com as quais ele está autorizado a operar.

Trata-se de uma identificação atribuída pelo emissor do cartão de crédito, que não necessariamente corresponde aos números de agência ou conta do banco.

O dígito verificador

O último dígito de um número de cartão de crédito é reservado para uma função de segurança. Trata-se do dígito verificador, um número ao qual se chega aplicando cálculos sobre os demais dígitos do número do cartão.

Por esse cálculo, conhecido como “algoritmo de Luhn”, é possível identificar, em uma digitação ou escrita do número do cartão, se todos os seus dígitos estão informados corretamente. Qualquer dígito incorreto leva a um resultado divergente no cálculo do dígito verificador.

O Código de Segurança do Cartão (CSC)

Além dos dígitos que compõem o número de cartão de crédito, estampados em sua face, existe outro importante número, utilizado em transações não presenciais, como a internet ou mesmo o telefone.

Esse outro número era chamado de CSC (Card Security Code) quando foi criado, mas cada bandeira adotou um nome diferente para ele. Assim, por exemplo:

  • A Mastercard o chama de CVV2 (Card Verification Value 2).
  • Para a Visa, é CVC2 (Card Validation Code 2).
  • O Dinners Club e a American Express o chamam de CID (Card Identification Number).

É mais um número de segurança, calculado a partir de outros dados do próprio cartão.

Geralmente, esse número é composto por três dígitos e está impresso no verso do cartão. A exceção fica por conta dos cartões da American Express, que têm um número composto por quatro dígitos, expressos na própria face do cartão.

O número de segurança é utilizado quando não há possibilidade de verificar a autenticidade do cartão fisicamente.

Outras informações importantes no cartão

Além do número de cartão de crédito e do código de segurança, outras informações importantes estão expressas no plástico.

Elas têm sido bastante utilizadas nas transações não presenciais, também para compensar a impossibilidade de verificar fisicamente o cartão.

Essas informações são:

  • A data de validade do cartão.
  • O nome do titular, escrito exatamente da forma como aparece no cartão (por exemplo, com abreviaturas).

Conclusão

Melhor do que memorizar o número do seu cartão de crédito, agora você entendeu que ele não é uma sequência aleatória de dígitos, aprendeu a identificar os principais grupos de informação contidos nele e descobriu que ele também contém mecanismos de segurança.

Você nunca mais vai olhar para um número de cartão de crédito com aquele ar de indiferença, próprio de quem não sabe do que se trata.